CONTADORES DE ESTÓRIAS

Espetáculo: Avua

Leves como papel, duas borboletas dançam com seu voo indeciso. Ilustram o texto haicai de Matsuo Bashó, poeta japonês: ”Balé no ar... Borboletas gêmeas até que, duas vezes brancas, elas se encontram e cruzam”. Dançam as borboletas, e dançam seus manipuladores, até que um acorda e, não sabe ao certo se é um homem que sonhou ser uma borboleta ou se é uma borboleta sonhando que é um homem. Enquanto um recita o texto, o outro dança, e esporadicamente coincidem com gestos que representam algumas palavras da parábola em linguagem de surdos-mudos.

Técnica: Manipulação direta
Autoria: Marcos Caetano Ribas, Boris Ribas e Olga Llado
Direção: Marcos Caetano Ribas
Duração: 10 minutos
Classificação: Livre

Histórico: Conhecido no mundo inteiro, o Grupo Contadores de Estórias, que, neste ano, completa 35 anos de existência, está sediado em Paraty, cidade onde passou os últimos 25 anos e onde construiu a sua sede, o Teatro Espaço. O cosmopolitismo do grupo - formado por Marcos Caetano Ribas, Rachel Ribas e Inez Petri - e da própria cidade, polo turístico que, há muito tempo, atrai pessoas ligadas à cultura do Brasil e à do exterior, chama a atenção e garante o sucesso do Contadores de Estórias, dono de uma carreira de 25 espetáculos montados e de apresentações feitas em 15 países e 18 estados brasileiros.